11/05/2015

Entrevista: Camila Monteiro

Oi gente!
Vim trazer uma entrevista super bacana que eu fiz com a Camila Monteiro, autora de Kamaleon (resenha aqui). A Camila é uma autora que eu tenho muita consideração e adorei conhece-la um pouco mais. Vamos ver as respostas dela?



1- Vamos começar com uma pergunta de praxe: de onde surgiu Kamaleon, qual foi sua inspiração para essa história?

Quando eu tinha uns treze anos de idade, mais ou menos, comecei a escrever uma história parecida com essa e li para a minha irmã mais nova. Bem, ela se apaixonou pela pequena trama (incompleta) e vivia me pedindo para continuar, mas eu não sabia escrever nada, nem livros eu lia direito.
Então há pouco tempo surgiu um concurso para avaliar obras de fantasia e eu resolvi me empenhar nesse projeto. Muita coisa mudou daquela ideia e eu gostei do resultado. Minha irmã também ficou satisfeita. Não ganhei o concurso, mas consegui uma editora (Cata-vento) e a obra finalmente nasceu... Depois de quase vinte anos.

2- Quanto tempo você demorou pra concluir a história? E desde quando você é escritora?

Demorei vinte anos para começar a escrever (rs) e apenas dois meses para concluir a obra. É um livro relativamente pequeno e foi pura diversão me dedicar a ela. Quando terminei, não queria sair daquele mundo mais.

3- Antes de Kamaleon você já tinha outro livro publicado, O Acumulador de Troféus. Lendo a sinopse dele, percebe-se logo de cara que são duas histórias totalmente diferentes, dois gêneros distintos. Você também já tem alguns contos. Você gosta dessa transição entre gêneros? Tem algum que goste de trabalhar mais?

Gosto muito. Leio de tudo e as inspirações me aparecem em diferentes momentos da vida, por isso tem dias que me sinto mais apaixonada, outros, prefiro o drama e até a comédia, mas o que realmente me inspira é o suspense. Tanto para ler quanto escrever é ele que me move. A maioria dos meus contos é nesse estilo e o primeiro livro, O Acumulador de Troféus, segue um pouco mais essa linha, apesar de ter partido para o lado policial também.

4- Falando nas suas obras, conte-nos um pouco de O Acumulador de Troféus, por favor.

O Acumulador de Troféus foi lançado de forma independente e me deu muito trabalho. Eu era crua como escritora e não conhecia nada sobre o mercado editorial brasileiro. Hoje vejo muita coisa que mudaria nele e também na forma que ele foi publicado, mas isso acontecerá em breve, pretendo reescrevê-lo. De qualquer forma é um livro com muito suspense e drama, bem o estilo de livro que gosto de ler. Vocês ainda terão notícias dele.

5- Sabemos que toda mãe, por mais que ame todos os seus filhos sempre tem aquele preferido, qual dos seus livros você prefere?

Espero que minha mãe não tenha (rs), mas se eu pudesse escolher um livro, certamente seria Kamaleon. Ele já me levou para os 15 mais vendidos da Amazon na categoria Fantasia e isso “mãe” nenhuma consegue esquecer. É uma obra muito mais trabalhada e preparada. Sinto que é especial também por ter sido um projeto tão antigo e por ter tantas cores!!!

6- Se você fosse uma Lampy e fosse a Escolhida, qual seria sua característica na hora de colorir Kamaleon? 

Uau! Essa foi boa. Coloquei muito de mim na Lilly e acho que encheria o mundo de brilho, assim como ela, mas teria alguns tons mais densos, gosto de lilás e tentaria deixar ele mais sóbrio, porque ela prefere o rosa e consequentemente os outros tons acompanham sua delicadeza.
Teríamos muito roxo e verde em Kamaleon, com certeza!

7- Como eu disse na minha resenha, Kamaleon é um livro encantador, o típico conto de fadas. Em algum momento do processo de escrita, você pensou em fazer diferente?

Não mesmo. Eu tinha toda a história na minha cabeça e nunca pensei em mudar. Algumas pessoas se surpreenderam por eu não colocar um romance típico na história e foi bem isso que eu quis fazer. A trama estava lá o tempo todo e talvez foi por isso que escrevi tão rápido. Hoje eu não mudaria uma vírgula na história.

8- Pra você, como é ser escritora no Brasil?

Difícil, mas não impossível. Exige muita dedicação e constante aperfeiçoamento. O talento é necessário em todos os países, mas aqui – como é bastante desvalorizado – requer um trabalho extra, principalmente na área de divulgação.
Se tornar conhecido é nosso maior obstáculo.

9- Como uma pobre leitora como todos nós, o que você gosta de ler? Qual seu autor preferido?

Eu adoro suspense e terror. Largo tudo para ler Stephen King. Ele é minha maior inspiração com toda certeza. É o modelo de escritor que eu pretendo seguir. Sua dedicação e paixão pela escrita me inspiram. Outro escritor que eu amo também é Neil Gaiman que escreve livros encantadores.

10- Quais são seus planos futuros, algum livro novo pela frente?

Sim, claro! Ao mesmo tempo em que escrevia Kamaleon comecei a trabalhar em uma trilogia de suspense que falará sobre fantasmas que se chamará APARIÇÕES. Quero um pouco de terror em minha biblioteca, mas esse projeto é bem grande e ainda vai demorar um pouco para sair do meu computador. No momento estou envolvida em um novo livro que vai percorrer o nosso folclore brasileiro, O título é MATA VIVA e também será um suspense. Estou adorando escrever e mal posso esperar para vê-lo impresso.

11- Deixe um recado para os leitores do blog :D 


Dê uma olhadinha na literatura brasileira e tenho certeza que você vai se surpreender. Não digo isso apenas por que eu sou uma escritora nacional, mas porque conheço diversos outros escritores que arrasam tanto quanto os estrangeiros e ainda batalham contra a maré em nosso país pela falta de apoio. A literatura brasileira merece essa chance e está fazendo por onde, mas o mais importante de tudo: Nunca parem de ler. Nunca.



Quero agradecer muito a Camila por aceitar a entrevista, adorei ler as respostas dela e to louca pra saber mais sobre esses novos livros e ainda quero ler O Acumulador de Troféus mas vou esperar ela reescrever então rs
Espero que tenham gostado da entrevista e não deixem de conhecer Kamaleon, é um livro encantador!


5 comentários:

  1. Oi, Nath!
    Essa autora é das minhas, por amar um suspense e um terror! kkkk
    Amei essa entrevista, a autora parece ser muito simpática e agora fiquei com mais vontade ainda de ler algo dela.
    Abraço!!

    ResponderExcluir
  2. Oi Nath! Td bem flor???

    Eu não conhecia a autora nem o livro, conheci através do seu blog! Gostei muito da resenha do livro e adorei a entrevista. Acho que já disse na resenha que quero ler neh? O.O kkkkkk
    Parabéns pelas ótimas perguntas e sucesso para a autora!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  3. Olá, Nath.
    Eu conheci a autora por causa de O Acumulador de Troféus. Ele é publicado pelo mesmo selo que um autor que eu gosto bastante: Jim Carbonera.
    Ainda não li nada dela, mas tenho muita curiosidade. Ainda mais sabendo que a maior parte das obras são mais voltadas para o suspense.
    Adorei a entrevista.


    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de maio. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  4. Eu já tinha visto falar sobre ela, mas ainda não tive a oportunidade de ler nada que ela escreveu :(, espero mudar isso em breve. Adorei a entrevista e que pude conhecer mais sobre ela.

    ResponderExcluir
  5. Adorei a entrevista! Me identifiquei com ela em muitos aspectos. Espero conhecer mais sobre ela logo logo :)

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, volte sempre! :)