24/05/2015

Ninguém te perguntou: Os clichês da literatura

Fala galera, ceis tão bão?
Vim mais uma vez, trazer minha linda opinião sobre algo pra vocês e tentar levantar um debate aqui entre a gente. 

Apertem os cintos de suas cadeiras, preparem os dedos e vamos falar sobre uma coisa que muitos amam e outros odeiam: clichês. 



Essas semanas atrás eu estava comentando nos blogs amigos e me deparei com a resenha de um romance erótico, não me lembro agora qual livro era mas me lembro o motivo de minha revolta: na história, a mocinha sonhava em ser submissa e encontra um cara super dominador, daqueles que dominam mesmo. Blá blá blá, eles ficam juntos, blá blá blá, transam muito, blá blá blá. Bom, sabe o que eu percebi? 90% das resenhas que eu leio, a história é sempre assim, ela submissa, ele dominador. Os dois se encontram e realizam o sonho um do outro com muito sexo selvagem e um relacionamento difícil. 
Agora eis meu pensamento: porque ninguém faz um livro onde a mulher é a dominadora e o sonho do homem é ser submisso? Por um acaso vocês acham que não existem mulheres que queiram mandar na hora do sexo? hein, hein, hein?! "Ah Nath, eu conheço um romance erótico em que o homem é o submisso sim!" Pois pelo amor de Deus amigo(a), me apresenta esse livro! Fora que, não tem outro tema pra romance erótico não gente? É sempre submissão? 
Vou confessar que nem leio romance erótico mas só de ler as resenhas falando sempre a mesma coisa, com sempre a mesma premissa eu fico com preguiça. 

Acho que o clichê mais comentado por todos é sempre o de romances. Toda história de amor tem sempre a mesma fórmula, salvo algumas exceções, claro. Mas basicamente, mocinha conhece mocinho, os dois se apaixonam, os dois enfrentam trocentos mil problemas, os dois ficam juntos, happy end em alguns casos. As vezes temos a felicidade de achar algum romance que foge um pouco dos padrões.

Falando em romances, que tal os de época? Confesso que adoro mas tenho sentido uma fórmula nos livros que leio também, onde a mocinha é sempre avançada pra sua época, sempre tem o pensamento a frente, sempre é forte e etc. Não que isso seja ruim! Ver personagens femininas fortes num livro é maravilhoso, mas sério, pensemos na época em que a história se passa, com certeza a grande maioria das mulheres era certinha, com o pensamento pequeno e tal. Bom, pelo menos eu acho isso. 


E os romances sobrenaturais? O que dizer sobre eles? Aaaaaah... são todos iguais hahahaha quer dizer, a grande maioria. A mocinha se apaixona pelo vampiro/lobisomem/anjo/zumbi/fantasma/múmia/monstro do lago ness (e é sempre a mocinha, nunca, jamais o mocinha será um mero mortal), o monstrinho se apaixona por ela mas sempre tem o peso na consciência de ser um monstro e não merece-la. Ah, sempre tem o cara normal e cuzão (ou da mesma espécia que o nosso monstrinho) pra atrapalhar os dois. Isso quando não tem uma guerra entre a espécia do cara e a mocinha fica bem no meio da batalha. Típico.
Nota-se uma predileção por vampiros e anjos nesses romances também. Tive a sorte de ler alguns livros muitos bons desse tipo, onde me surpreendi bastante com a originalidade da história, mas em sua maioria, tudo clichê batido. 


Existem clichês em todos os gêneros, obviamente, mas vou citar só esses três porque eu acho que são os mais fáceis de se detectar isso. Num mundo onde "nada se cria, tudo se copia" é difícil você encontrar uma coisa nova, mas as vezes encontra. Depende da sua sorte e ponto de vista. 

Agora, se eu odeio clichês? Depende muito. Algumas coisas repetidas em vários e vários livros cansam a gente demais, porque você pega um novo livro e nas primeiras páginas já sabe como ele vai terminar. Não tem surpresa, não tem expectativa. Mas se o autor souber escrever bem, souber trabalhar bem sua história, o clichê vira um ponto positivo, vira uma coisa boa e as vezes passa despercebido. Ou seja, tudo depende do trabalho do autor. Não condeno quem escreve uma história super clichê mas também não caio de amores. Livros clichês e repetidos até tem sua serventia: passar o tempo, ler quando você esta numa ressaca literária. 


E você, o que acha dos famosos clichês?





7 comentários:

  1. Oi Nath sua linda e rebelde! kkkkk

    Cara, concordo plenamente com vc. O que me irrita mais que tudo é pegar um livro, começar a lê-lo e ter aquele deja vu sabe? Mas como vc tbm, sabiamente, citou, tem uns que passam tão despercebidos que o leitor se apaixona e não percebe!

    Sobre os eróticos, putz, to lendo alguns que estão me deixando bem aberta (no bom sentido) a novas experiências. Meu marido não curte submissão, ele é bem pacato sabe, aí fico viajando nas paradas dos livros! kkkkk

    Adorei seu post! Parabéns! Ri demais como sempre! Vc é ótima com críticas!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, você meu ego se encher tanto! kkkkkkkkk Obrigada ♥

      Excluir
  2. Olá, Nath.
    Os clichês na verdade são fórmulas consagradas. São usadas muito porque vendem e rendem dinheiro. E aí está a questão: o dinheiro também move a literatura.
    Quanto à presença de clichês, acho que tudo depende. Óbvio que sempre acontece um aqui e outro ali, mas quando o livro parece ser igual aos outros, só mudando nomes e lugares, eu detesto.
    Quanto aos que você mencionou, eles não me afetam porque eu raramente leio romance, seja erótico ou não. Quanto aos romances históricos, geralmente leio os clássicos, então possuem uma carga menor de clichês, Quanto aos sobrenaturais, li uma série quase toda (Hush Hush) que quase me fez desistir da literatura. haha Daí em diante não li mais. Até leio sobrenaturais que contém romance, mas não sobrenaturais que são apenas romance, sabe?

    Adorei a sua postagem!

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de maio. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esqueci desse ponto do dinheiro na minha opinião Marcos e realmente, algumas fórmulas dão muito certo, é só ver oo livros do Nicholas Sparks que convenhamos, são todos muito parecidos.
      Esse é o problema de alguns clichês pra mim, seguir sempre a mesma coisa em vários livros.
      Nem me fale de Hush Hush, que martírio que foi terminar essa série! Pior que foi uma das primeiras que eu tive na minha estante sabe? E desanimei pra caramba também kkk

      Excluir
  3. Ai, eu já sou besta pra rir aí com esses post seus eu morro!! kkkkk
    Acho que você já deve ter visto meus comentários em resenhas de livros erótico ou de romances clichês, eu odeio!! Sério, pra quê quero histórias que tenham sempre a mesma fórmula e com mocinhas burras que são sempre as submissas?? Olha, vou te contar viu! Eu passo longe!! hashuashuasa
    Amei o post, Nath! Bjão <3

    ResponderExcluir
  4. Eu encontrei apenas um livro em que o homem era submisso e a mulher era a dominadora, mas foi a muito tempo atrás, nem me lembro o nome do livro, mas lembro qu achei legal pois normalmente é a mulher a submissa, lembro porque saiu muito do cliche dos livros de BDSM

    ResponderExcluir
  5. Realmente clichês se tornam um ponto negativo para o livro, às vezes, por parecer tão clichê, dá até vontade de parar de ler o livro. Cabe ao autor fazer com que isso se torne um ponto a seu favor e não prejudique a opinião do leitor.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, volte sempre! :)