20/07/2016

Resenha: Memórias de uma Gueixa - Arthur Golden

Título: Memórias de uma Gueixa
Autor: Arthur Golden
Editora: Arqueiro
Ano: 2015
Páginas: 448
Compre: Físico - eBook
Sinopse: Olhos cinza-azulados. Muita água em sua personalidade, é o que diz a tradição japonesa. A água que sempre encontra fendas onde se infiltrar, cujo destino não pode ser detido. Assim é Sayuri, uma das gueixas mais famosas de Gion, o principal distrito dessa arte milenar em Kioto. Com um olhar, ela é capaz de seduzir. Com uma dança, ela deixa os homens a seus pés. O que ninguém sabe é que, por trás da gueixa de sucesso, há um passado de perdas e desilusões de uma mulher que, desde o dia em que o pai a vendeu como escrava, fez cada uma de suas escolhas motivada pelo amor ao único homem que lhe estendeu a mão. Neste livro acompanhamos sua transformação enquanto ela deixa para trás a infância no vilarejo pobre e aprende a rigorosa arte de ser uma gueixa: dança e música, quimonos e maquiagens; como servir o chá de modo a revelar apenas um vislumbre da parte interna do pulso; como sobreviver num mundo onde o que conta são as aparências, onde a virgindade de uma menina é leiloada, onde o amor é considerado uma ilusão. Já idosa, vivendo nos Estados Unidos, ela narra suas memórias com a sabedoria de quem teve uma vida longa e o lirismo de quem soube encontrar nela seu lado mais doce. Neste relato único, que reúne romance, erotismo e, muitas vezes, a dura realidade, Arthur Golden desenvolve uma escrita refinada e dá voz a uma personagem instigante e humana que conquistou milhões de leitores em todo o mundo.



Li Memórias de uma Gueixa a uns 4 anos atrás, numa outra edição, outra editora. Na época eu amei o livro, como continuo amando-o hoje em dia, mas não absorvi completamente a história, talvez por falta de maturidade para isso. Não que eu seja a pessoa mais madura do mundo hoje rs mas com certeza enxerguei de maneira diferente. 

Memórias de um Gueixa conta a história de Sayuri, uma gueixa famosa em seu tempo e que agora conta sua história a um pesquisador que se tornou seu amigo. 
Nascida com o nome de Chiyo e moradora de Yoroido, uma pequena aldeia no Japão, Chiyo chama atenção por seus belíssimos olhos azuis acinzentados e por ter tanta água em sua personalidade. Com sua mãe de cama e seu pai já velho, ela é vendida para uma okiya em Gion, um distrito de Kioto. Na okiya Niita, Chiyo começa a ser treinada para se tornar uma gueixa. 
Sua vida é repleta de infortúnios e dificuldades. Vendida sem querer isso, afastada de sua irmã, vivendo como empregada e sendo prejudicada de todas as formas por Hatsumomo, a única gueixa da okiya e que a odeia, Chiyo não vê como sua vida pode ser melhor, até o dia que em surge Mameha, uma das mais famosas gueixas daquele tempo e que se torna sua irmã mais velha, ensinando-a tudo que ela deve saber para se tornar uma gueixa, desde como falar, se mover, até arte. Assim, Chiyo se transforma em Sayuri, uma belíssima gueixa que chama atenção de todos e só deseja uma coisa na vida: chamar a atenção do Presidente, um homem que ela conheceu ainda criança e a fez ter esperanças em sua vida. 
[...] Porque, quando uma gueixa acorda de manhã, têm exatamente a mesma aparência de qualquer outra mulher. Seu rosto pode estar oleoso do sono, e seu hálito, desagradável. Ainda que ela use um penteado deslumbrante mesmo quando luta por abrir os olhos, em todos os outros aspectos, é uma mulher como qualquer outra, nada gueixa. Só quando se senta diante do espelho para colocar a maquiagem com todo o cuidado ela se torna uma gueixa. E não quero dizer que nesse momento ela comece a parecer uma; é quando também começa a pensar como gueixa.
Como o próprio título já diz, este é um livro de memórias, logo, é narrado pela própria Sayuri, de modo que ela conta sua história, explicando o significado de termos e costumes e ainda refletindo sobre vários acontecimentos e sobre a vida. Basicamente, é a transcrição de sua conversa com Jakob Haarhuis, um professor de história japonesa. Acompanhamos sua vida desde quando morava em sua casinha bêbada em Yoroido, até o presente onde ela conta sua história. Graças a escolha do tipo de narrativa, o leitor passa a conhecer Sayuri profundamente, é como se fossemos amigos da mesma. As descrições minuciosas sobre lugares, aparências e costumes, nos dão a sensação de que estávamos lá, junto dela, e é perfeitamente possível enxergar tudo. 
É um livro delicioso de se ler, porém, são 448 páginas de pura informação, a passo que não conhecemos só a vida de Sayuri, mas toda uma cultura. O autor se preocupou em descrever tudo, usando os nomes japoneses, explicando todo o processo de se tornar uma gueixa, desde seu treinamento até suas superstições. 

Aliás, devo informar que essa história é realmente ficcional, caso alguém pense que possa ter acontecido. O autor estudou muito e conversou com gueixas para aprender os costumes e optou por fazer sua história como se Sayuri e Jakob tivessem existido e tivessem mesmo tido essa conversa. Se pararmos para refletir em todos os absurdos e situações da história, é claro que ela é ficcional, não é possível tudo aquilo acontecer, mas também poderia acontecer no mundo real, quem sabe?! No fundo de meu subconsciente, Sayuri é uma pessoa de verdade e sempre será, graças ao tanto que me encantou. 

Como já disse, o livro tem muitas informações, então não é uma história para ser lida depressa. É preciso ler aos poucos, absorvendo todas as partes, entendendo toda a cultura representada. Há controversas e críticas à história criada por Arthur - se vocês pesquisarem sobre o livro/filme, verão que ele se consultou com uma gueixa famosa, a qual prometeu confidencialidade e no final acabou revelando seu nome. Ela ficou furiosa - mas creio eu, no alto de minha ignorância, que todos os costumes de uma gueixa aqui descritos, são verdadeiros ou tão mais próximos da verdade quanto possíveis. São práticas estranhas a nós ocidentais e por vezes, até absurdas, mas que carregam uma beleza indescritível. 
Nossas vidas são como água correndo colina abaixo, mais ou menos num curso, até batermos em algo que nos force a encontrar um novo rumo.

Se você tem para si que gueixas são prostituas japonesas, está muitíssimo enganado. O próprio termo gueixa refere a "pessoa das artes" (ou coisa do tipo). Logo, veremos belas descrições sobre quimonos, maquiagens e penteados lindíssimos, apresentações de dança e cerimônias. A gueixa é uma pessoa treinada para entreter através da arte, e é isso que temos durante ela leitura: o mais elevado entretenimento. 
Outro fato interessante a se mencionar, é que a história de Sayuri se parra durante a Segunda Guerra. Mesmo que não vejamos a guerra em si, podemos ter uma pequena ideia das consequências que ela trouxe para o Japão. 

A história é muito rica em cultura e reflexões. A partir da vida de Sayuri podemos aprender muito sobre a vida em si. Sua história carrega momentos de pura emoção e desespero, que atingem o leitor e o deixam torcendo para que haja um final feliz. 

Falando sobre a edição, a Arqueiro caprichou. É uma edição simples, com ótima qualidade de folha e fonte, além de uma capa muito bonita. 

Memórias de uma Gueixa é um livro que me encantou na primeira leitura e conseguiu me encantar o triplo na releitura. 


14 comentários:

  1. Oi Nath!

    Tenho muita vontade de ler este livro, já tive várias oportunidades de comprá-lo, mas sempre acabo optando por outro livro que eu queira mais! rssrsrsr

    Adorei sua resenha e fiquei curiosa com o enredo!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  2. Interessante, se fosse pelo título ou capa, esse livro nunca me chamaria a atenção para ler. Mas a resenha que você fez despertou curiosidade. Principalmente para se conhecer mais sobre a cultura, vestimentas, etc.. pelo que você falou a história é rica em detalhes :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Nathália, tudo bem?
    Eu já tinha ouvido falar sobre esse livro, mas ainda não chamado muito a minha atenção! Sua resenha mudou a minha opinião sobre esse livro, e agora sim deu vontade de ler. Conhecer um pouco mais dessa cultura deve ter sido realmente fascinante!

    Beijos,
    Ana | Blog Entre Páginas
    www.entrepaginas.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi, Nathália. Eu gosto muito de Livros que me façam sair do meu mundo, da minha cultura etc. Só pelo fato de o livro me mostrar algo totalmente desconhecido pra mim, já fico com mais vontade de lê-lo. Pelo jeito você gostou muito, não é? Eu vou adicionar o livro na lista e pretendo lê-lo. Sempre pensei que as gueixas fossem prostitutas. Até pra desmitificar isso, o livro serviu. Achei bem bacana, principalmente pra pessoas leigas, como eu.

    Http://PorreDeLivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Pois é, eu sempre achei que fosse um livro baseado em uma história real, mas daí assisti ao filme e comecei a me dar conta que não, que era mesmo uma ficção. Tenho o livro já há uns 5 anos e nunca li, acredita? Fiz a besteira de assistir ao filme primeiro.... mas a vontade continua, mesmo porque todo mundo elogia...

    Bj, Van - Retrô Books
    http://balaiodelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi, Nathalia!
    Memórias de uma Gueixa é um dos livros que mais me marcou na adolescencia! Acho que o que mais gosto nele é a quantidade de informações mesmo, porque deixa tudo mais real - mesmo sendo uma ficcção. Sua resenha me deixou com vontade de reler! - vou ter que colocar na minha lista de próximas leituras hehe
    bjus

    ResponderExcluir
  7. Oi, eu tinha visto você falando desse livro em um vídeo e tinha ficado bem curiosa com ele agora após ler a Resenha fiquei com ainda mais vontade cde lê-lo e creio que a leitura sempre é diferente na segunda vez que lemos o mesmo livro.
    Bj

    ResponderExcluir
  8. Oiii Nathalia, como vai?
    Menina que resenha maravilhosa é essa? É a priimeira vez que leio uma resenha dessa obra, e desde que houve o lançamento fiquei a namorando, gostei da história em si e parece ser uma obra realmente emocionante, leria com toda certeza.
    Beijinhoss

    ResponderExcluir
  9. Olá. Que delícia de resenha, fiquei ainda mais com vontade de ler. Estou com esse livro há tempos emprestado de uma amiga e sempre deixo para ler depois. Vou passa-lo à frente na fila de leitura, pois vou adorar conhecer melhor a cultura que envolve o livro e, principalmente, a parte das consequências da segunda guerra para o país.
    Beijos.
    Karla Samira
    www.pacoteliterario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Olá. Que delícia de resenha, fiquei ainda mais com vontade de ler. Estou com esse livro há tempos emprestado de uma amiga e sempre deixo para ler depois. Vou passa-lo à frente na fila de leitura, pois vou adorar conhecer melhor a cultura que envolve o livro e, principalmente, a parte das consequências da segunda guerra para o país.
    Beijos.
    Karla Samira
    www.pacoteliterario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Sua resenha está perfeita. Falou do livro sem revelar a história e instigou a curiosidade do seu público. O livro parece ser incrível mesmo, ótima indicação.
    Beijinhos!
    @Laymach_
    Blog Starbooks (http://www.starbooks.com.br/)

    ResponderExcluir
  12. Adoro a cultura japonesa e essa trama deve ser simplesmente fantástica. A sua resenha despertou em mim uma vontade louca de le-la para conhecer mais da protagonista que se mostra muito forte e outra coisa chamou minha atenção em sua resenha é o fato de você trazer a informação de que o leitor se sente dentro da história e alguém muito próximo a Sayuri. Quando o autor tem a capacidade, delicadeza e sensibilidade de conseguir uma proeza dessa já me conquistou e para completar tem o fato de o autor ter pesquisado muito e isso é nítido pela riqueza de detalhes que ele traz.
    Este é um livro que tenho muita vontade de ler, então logo mergulharei no universo de Memórias de uma Gueixa.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  13. Oi Nath!
    Tenho loucura para ler esse livro faz muuuuuito tempo (desde quando era aquela capa antiga que não me lembro se era da Sextante ou outra editora), mas até hoje não li. =/
    Todas as resenhas que li até hoje falam maravilhas a respeito da trama e do quão emocionante é conhecer a história da Sayuri. E eu, que sou apaixonada pela cultura oriental, sinto que vou amar a história. Espero gostar tanto quanto vc!
    Beeeijos

    ResponderExcluir
  14. Oi Nat, sua linda, tudo bem?
    Confesso que não conheço muito da cultura das gueixas e realmente pensei que elas fossem de certa forma mulheres da vida, que eram vendidas e treinadas para exercer a profissão. Jurava que era uma história verídica. Tenho certeza de que irei me emocionar com ela. Dica mais do que anotada!!! Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, volte sempre! :)