17/08/2016

Resenha: Apenas um Garoto - Bill Konigsberg

Título: Apenas um Garoto
Autor: Bill Konigsberg
Editora: Arqueiro
Ano: 2016
Páginas: 256
Compre: Compre
Sinopse: Rafe saiu do armário aos 13 anos e nunca sofreu bullying. Mas está cansado de ser rotulado como o garoto gay, o porta-voz de uma causa.
Por isso ele decide entrar numa escola só para meninos em outro estado e manter sua orientação sexual em segredo: não com o objetivo de voltar para o armário e sim para nascer de novo, como uma folha em branco.
O plano funciona no início, e ele chega até a fazer parte do grupo dos atletas e do time de futebol. Mas as coisas se complicam quando ele percebe que está se apaixonando por um de seus novos amigos héteros.



Apenas um Garoto conta a história de Rafe, um garoto que é assumidamente gay desde os 13 anos, que tem uma família que o ama e não passou por todo o drama de sair do armário. Assumir sua orientação sexual foi fácil, foi aceita por todos e mesmo assim, Rafe está cansado do rótulo de "garoto gay", parece que todos que o olham só enxergar essa única característica nele e isso o tem incomodado. Para fugir e mudar um pouco, Rafe resolve se transferir para a Natick, um colégio só para garotos em outra cidade. Neste colégio, ele irá omitir o fato de ser gar para poder ter a chance de ser apenas um garoto normal. 

Esse foi um livro que eu solicitei com bastante expectativa e como já disse aqui antes, expectativa é uma merda. Infelizmente, esse livro foi meio que uma decepção, eu esperava muito mais do que recebi. Porém, ao mesmo tempo eu compreendi tudo o que eu livro quis passar, entendi o personagem e suas atitudes que são até válidas. Então, separarei a resenha em duas partes, digamos assim. Na primeira farei os elogios, falarei sobre o que achei legal. Na segunda criticarei as coisas que não gostei. Já aviso dessa separação desde já porque pode ser que a coisa fique um pouco contraditória.

Coisas boas...

Apenas um Garoto foi um bom livro para mostrar um outro lado da pessoa LGBT, mostra uma parcela ínfima daqueles que (graças a Deus!) não sofrem com a violência destinada a esse grupo. Mas, ainda assim, eles sofrem de alguma maneira. Aqui no caso, Rafe sofre com sua descaracterização como pessoa, já que a única coisa que enxergam nele é o fato de ser gay. Rafe não é o Rafe, Rafe é o garoto gay assumido. É um rótulo que o persegue e dita como as pessoas vão agir com ele, como pensaram dele. É como se ele não fosse normal, como se não tivesse pensamentos e desejos de uma pessoa qualquer. 
A história ainda mostra claramente um preconceito velado por trás dos atos de alguns personagens. Não é porque você não agride fisicamente ou verbalmente que você não é preconceituoso, entende? Como citado no próprio livro, a pessoa com orientação sexual "diferente" precisa ser "aceita" por aqueles que estão a volta. Mas só que só o fato de precisar ser aceita, já esta errado. Não é uma coisa de outro mundo, você não tem que aceitar nada. 
A história passa muito bem esses sentimentos através da narração em primeira pessoa de Rafe, e acho que foi uma boa jogada do autor tratar sobre o assunto desta forma. 
Mesmo que os atos de Rafe sejam considerados errados, tudo não passa de um pedido de socorro. É um garoto querendo desesperadamente ser considerado normal por aqueles que o cercam! 
Os personagens são bem montados e trazem peculiaridades interessantíssimas. Os pais de Rafe são verdadeiras jóias. 
O livro contem bastante diálogos e não permite que a leitura fique chata, mesmo com algumas reflexões de Rafe.

Coisas ruins...

Apenas um Garoto foi um bom livro pra mostrar um outro lado da pessoa LGBT, porém, em minha sincera opinião, faltou alguma coisa mais profunda. Há um certo drama sim, principalmente no relacionamento amoroso que surge, que apesar de ter suas belezas, é bem tenso para nós e já vem desde o começo carregando um ar de tragédia. Porém, não consegui me sentir conectada a Rafe. Sim, eu entendi tudo o que ele sentia e compreendi seus atos, mas o tempo todo eu concordava com aqueles personagens que eram contra suas decisões. A mentira não fazia sentido para mim. Mas o pior fato, é o de o personagem não ter me cativado em nada. Não consegui me sentir aflita com ele, não consegui torcer por seu final, apenas lia e ok. 
O que o autor quis passar é muitíssimo importante, mas pelo menos pra mim, isso dá um pouco errado ao usar um personagem pouco impactante. 
A narração de Rafe é interessante e a escrita do autor é legal de se ler, mas mesmo assim o livro passou lento pra mim. Não foi uma leitura exatamente chata, foi apenas lenta, arrastada. Algumas cenas e diálogos eu descartaria facilmente. 
Os personagens são interessantes, alguns são bem doidos rs E os pais de Rafe, apesar de serem amorosos e compreensivos, me irritaram um pouco com seu jeito de ser. Nessas horas eu entendia a vontade de sumir que Rafe sentia. 

Entenderam porque eu disse que ia ser contraditório? 
As mesmas coisas que eu compreendi e achei legais, foram aquelas que me irritaram e me fizeram desgostar do livro. Dá pra entender isso? Espero que sim. rs
Foi como eu disse, eu não gostei de tudo mas compreendi o porquê das coisas, e isso me fez ficar bem dividida com o saldo total do livro. É claro que eu recomendo-o, principalmente para quem quer se aventurar na literatura LGBT, mas pra mim, o livro podia ter sido muito mais. 


11 comentários:

  1. Oi Nath!

    Eu tbm solicitei este livro e ele está aqui para eu ler. Infelizmente, fiquei um pouco decepcionada com sua resenha... tbm esperava mais do livro e do personagem, mas vou ler para tirar minhas conclusões!

    Ótima resenha! Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  2. Oiee Nathalia ^^
    Poxa, eu também estava com expectativas altas em relação a esse livro, mas vi que a maioria dos leitores se decepcionaram com a história, então estou tentando diminuir um pouco a animação. Mas não dá. Livros com temática LGBT sempre me chamam a atenção, sabe? Então eu sempre acabo esperando muito deles. É uma pena que o personagem não tenha te cativado, quando isso acontece não há o que fazer, né? Parece ser um livro meio a meio, meio bom, meio ruim. Espero que a minha leitura seja mais meio boa do que ruim...hehe'
    MilkMilks ♥
    Milkshake de Palavras

    ResponderExcluir
  3. Pena que o livro não foi tudo o que você esperava! Para mim é muito difícil quando não consigo me conectar a um personagem, quando ele não me cativa. A leitura se torna naturalmente lenta pra mim e acabo sentindo que faço uma leitura morna, que não consegue mexer comigo de verdade. Se os pais do Rafe ainda me irritassem, seria complicado demais continuar. Não acho que eu vá ler.

    ResponderExcluir
  4. Oi Nath!
    Ter nossas expectativas frustradas por uma leitura que não foi aquilo que esperávamos é decepcionante.
    Achei interessante o autor ter criado uma história sem o lado do bullying, mas ao mesmo tempo as questões que como você colocou como ruins, a falta de conexão com o personagem e tudo mais, mostram que a história não foi bem explorada como deveria.
    Por enquanto ainda não me interessei em ler.
    Beijos.

    Li
    literalizandosonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oiie, tudo bom???
    Quando eu li a sinopse já me deu uma empolgação, a capa é linda e a sinopse faz com que a gente queira ler, ainda mais sendo eu ativista de causas sociais. Mas deu um pouco de decepção quando você disse que tinha esperado mais e que o livro não supriu as suas expectativas, mas mesmo assim eu vou atrás do livro. Quem sabe eu não goste?
    Beijos
    http://escritores-fantasticos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi, Nath!
    Expectativas são sempre muito delicadas quando iniciamos uma leitura, principalmente quando elas são altas demais; já me decepcionei com muitos assim e, infelizmente, também tenho visto várias críticas negativas além da sua sobre Apenas um Garoto. Sobre suas opiniões contraditórias, relaxa, já tive experiência igual com A Playlist de Hayden no ano passado; se gostei do livro de um determinado jeito, não gostei dele no que ele realmente se propôs e até agora não sei dizer bem o que achei dele. Sei lá, ficou um sentimento vago com relação à ele, mas, fazer o que, algumas leituras surtem esse efeito mesmo, infelizmente.
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional ♥

    ResponderExcluir
  7. Olá tudo bem??
    Sei muito bem como e ter uma expectativa por um livro e as vezes não ser bem do jeito que a gente espera, estou com esse livro aqui para ler, e estou empolgada para ver o que vou achar, pode ser que eu venha me decepcionar um pouco também, mas ainda não sei kkkk, adorei sua resenha!!
    Beijus
    www.bibliotecaempoeirada.com.br

    ResponderExcluir
  8. Eu gostei bastante da leitura, realmente faltou um dramazão a mais, mas eu gostei de como o relacionamento de Rafe com outros garotos foi desenvolvido e também sua vontade de ser só ele mesmo. Eu compreendi tudo o que ele passou e decidiu, não vi como uma mentira enorme, afinal, ele não deve satisfação a ninguém sobre se gosta de menino ou menina, mas claro que foram decisões impactantes e que poderiam ter evitado tudo o que ele passou depois...
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Nath!
    Acho que dá pra entender sim o conflito de suas opiniões. Ao mesmo tempo que o livro é bom e trata de um tema importante, ao mesmo tempo você não conectou ao personagem a ponto de entende-lo por completo e até torcer por ele. Isso é bem chato quando acontece. E confesso que me desmotiva um pouco, pois eu estava com muita vontade de ler esse livro, mas levo muito em consideração sua opinião e essa desconexão com o personagem me incomoda.
    Beijo

    ResponderExcluir
  10. Oi Nath, tudo bem?
    Expectativa é uma coisa tão difícil, porque você deseja tanto que goste de algo, mas as vezes acaba se decepcionando.
    Pelo o menos tem seus lados positivos, quanto a questão dos personagens bem montados é um ponto que gosto. Eu entendo sim, as vezes isso acontece..rsrs. Enfim, se eu for ler esse livro não vou com expectativas.

    Beijos,
    www.leitorasempre.com

    ResponderExcluir
  11. Normalmente não leio resenhas de livros que estão no topo de proximas leituras, mas quando você disse que teve prós e contras e que poderiam ficar contraditórios eu não me contive e li...
    Entendo seu ponto de vista, e acho que não ficarei tão desapontada por já estar pensando um pouco diferente antes de iniciar a leitura. Acho que o grande diferencial do livro é o fato de Rafe não querer ter rótulos e ser aceito - mas ao mesmo tempo, fico pensando que é exatamente assim que qualquer pessoa do circulo LGBT quer ser, não é mesmo?
    Espero que a leitura seja pelo menos ok, pois ultimamente tenho abandonado vários livros e não queria que esse entrasse nessa lista...
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, volte sempre! :)