25/03/2016

Entrevista: autora Amanda Ághata Costa


Oi gente! Hoje trago pra vocês uma entrevista super bacana com a linda da Amanda Ághata Costa, autora de A Escolhida e parceira aqui do blog. Confiram!

1- Essa pergunta é clássica: como surgiu a ideia pra escrever A Escolhida? Seus personagens se baseiam em alguém?
A Escolhida foi um livro que repercutiu muito em mim antes mesmo de chegar a ir para o papel. Sempre acreditei muito nessa questão de que somos quem queremos ser e eu queria mostrar para todos que tanto podemos ser os vilões quanto os mocinhos da nossa própria história. A ideia surgiu dessa vontade de provar que o bem e o mal está dentro de nós, sem exceções; ninguém é tão mau que não possa ser bom, nem tão bom que não possa ser mau. Os personagens se baseiam um pouco em mim e nas pessoas que estão a minha volta, pois quis que eles tivessem características reais, que os tornassem humanos e próximos do que vimos não apenas no mundo fictício.

2- De onde veio a vontade de ser escritora?
Na verdade essa vontade nunca fez parte da minha vida. Eu não nasci querendo ser escritora, não pensava em publicar nada do que eu escrevesse, bem pelo contrário. Era simplesmente um momento de desabafo, onde eu podia ser eu mesma sem ninguém por perto para me julgar, já que nos meus textos não existiam as mesmas repreensões da vida lá fora. Só depois de ouvir muitas pessoas elogiando a minha escrita e dizendo que queriam ler mais trabalhos meus, que decidi me dedicar mais a essa carreira.

3- Hoje você tem um contrato com a Editora Arwen (e estamos muito felizes por isso!) mas antes você era uma autora independente. Como foi essa experiência pra você?
Chegar até aqui e ter a Editora Arwen como minha casa editorial é um sonho que se realiza a cada dia. Eu sempre vou dizer que ter sido uma autora independente me fez ser a autora que eu sou hoje. Se pudesse voltar no tempo, eu faria tudo exatamente da mesma forma, pois acho que cada passo tem um tempo pra ser dado. Foi um pouco difícil encarar um mercado tão competitivo e tantos outros livros com muito mais visibilidade, sabendo que eu não era conhecida por ninguém e que provavelmente meu livro não seria tão bem visto assim, mas aos poucos o meu público começou a aparecer e a partir de então eu pude perceber que também havia um espaço pra mim. Com persistência qualquer um chega aonde pretende ir, só não dá pra desistir. 

4- Como escritora, qual sua visão da literatura nacional hoje em dia? Acha que ainda é complicado ser autor no Brasil?
A literatura nacional vem ganhando um espaço maior a cada dia, e percebo isso tanto como leitora quanto autora. Fico muito feliz em ver que as editoras estão dando oportunidades de publicação, que as livrarias estão cedendo lugares pra nacionais em suas estantes e também que os leitores, principalmente, estão percebendo os talentos que temos no nosso país. Aos poucos aquela imagem de que a literatura nacional era chata e pouco interessante está perdendo força e os próprios autores estão mostrando a que vieram. Pode ser difícil sim ser um autor no Brasil, mas não impossível. As plataformas digitais também provam o quanto é possível se inserir no mercado sem gastar tanto e ampliando assim o seu público leitor. 

5 - Essa pergunta tem um pouco de interesse próprio haha blogs literários são importantes pra você?
Sem os blogueiros eu não teria chegado até aqui, isso é fato, então a importância deste trabalho lindo é indescritível. A valorização que eu dou para todas essas pessoas que se dedicam a criar um bom conteúdo que vai chegar a dezenas de pessoas, que muda até a forma de pensar de muitas delas, sempre será o mesmo. Vocês é que tornam isso real! Eu e a Ari seremos eternamente gratas por todo o apoio, divulgação, incentivo que recebemos de todos os blogueiros que já cruzaram o nosso caminho. 

6- Por ser uma autora nacional e logo, mais disponível, as criticas a sua obra com certeza chegam facilmente até você. Como você lida com as criticas negativas? 
As críticas e elogios chegam com facilidade, sim, e eu acho que são fases naturais desse processo. Tem quem ame, como tem quem odeie, e não tem porque ser diferente. Ninguém é igual e os gostos não serão sempre semelhantes, causando então essas possíveis divergências. Eu amo todos os comentários que os leitores fazem, sejam eles negativos ou positivos, e levo todos em consideração. É através desse feedback que eu posso ver onde errei, onde acertei, o que pode ser melhorado, o que não faz sentido, e alguns detalhes que talvez passaram despercebidos, possam ser revistos em outro momento. 

7- Sempre te confundem com a Ari na capa do livro, você gostaria de ser ela? Rs
Eu dou risada sempre que falam sobre essa semelhança, porque eu juro que não consigo enxergar nada disso. É engraçado que as pessoas falem sobre eu ser a moça da capa, quando na verdade, a Ari e eu somos parecidas de outras formas. A personagem foi baseada em muito do que eu sou, de coisas que eu vivi, de pensamentos que eu tenho. Acho que não gostaria de ser ela, porque de certa forma, eu já sou. Ela é uma personagem complexa e difícil de ser compreendida, mas ela sabe ser especial do seu jeito. 

8- Qual seu personagem preferido, sem contar a Ari e o Luke?
Ai, essa pergunta! Eu amo a Vincy e a Tyla (pode ser as duas?). Ambas tem uma sinceridade e doçura que torna o livro mais leve e gostoso de ser lido, apesar de ambas serem bem diferentes. A Vincy é o tipo de garota que eu gostaria de ter por perto como minha amiga, e acho que eu amaria ser irmã da Tyla. São duas personagens que eu colocaria em uma caixinha e guardaria pra sempre comigo. 

9- Geralmente quem escreve também gosta de ler. Qual gênero literário você gosta de ler? Quais seus autores/as preferidos/as?
Eu gosto muito de ler fantasia, não apenas por ser o meu gênero, mas por realmente amar histórias fantásticas. Gosto também de new adults, distopias, sick-lits e romances em geral. Sou fã de carteirinha da Collen Hoover e do Carlos Ruiz Zafón, e também amo a escrita da Cassandra Clare. 

10- Quais seus planos futuros? (Leia: pelo amor de Deus, quando sai o segundo volume?)
 O segundo volume tão esperado sai, sim, ainda esse ano! A Subestimada é meu projeto em andamento e pretendo publicá-lo em 2016; vamos torcer para que a Editora Arwen atenda esse pedido, hein! O último volume será lançado então somente em 2017 e depois disso eu já tenho um novo romance, com muito drama e uma pegada policial, que vai fisgar vocês! Devo contar as novidades em breve!

11- Deixe um recado para os leitores do blog :)
É lógico que eu só tenho a agradecer por tudo! Nath, agradeço pelo convite e pelas perguntas, além de sempre dar um espaço para A Escolhida aqui no blog. Quero agradecer também por todo o carinho e atenção que os leitores dão ao meu livro, e se você ainda não conhece, torço para que dê uma chance a Ari! Espero que ela conquiste o seu coração também. Beijos!

Como sempre, clicando na capa vocês serão direcionados para a minha resenha do livro. Não deixem de acompanhar a Amanda em sua página no facebook  para mais novidades.
Agradeço imensamente a Amanda por ter aceitado dar essa entrevista, foi muito bom conhece-la mais um pouco. Ela é uma pessoa linda e adoro te-la como parceira aqui do blog. Beijo!

12 comentários:

  1. Oi Nath!

    Eu quero muito ter a oportunidade de ler este livro, gosto demais da capa e a sinopse é instigadora demais! Sua resenha tbm me deixou mega curiosa!

    Parabéns pela entrevista! Apesar de não conhecer a autora, gostei de saber um pouco mais sobre ela e seu livro!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela entrevista Nath!
    É importante termos oportunidade de conhecer melhor os autores nacionais.
    Um grande abraço

    Ana
    Estante da Ana
    www.estante-da-ana.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá! Aaai ainda não consegui ler! Mas espero ler em breve! Mto curiosa pra ler! Adorei a capa do livro! Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Olá, Nathalia.
    Parabéns pela entrevista, está ótima. Tem tudo o que eu gostaria de ter perguntado a autora. Gostei de saber que ela é fã do Zafón, que eu amo hehe. Acho que o cenário atual está mais favorável para os autores nacionais. Tem muitas editoras que já reconheceram que existem muitos autores nacionais ótimos. E que bom que a continuação já sai esse ano.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Oi,
    Estou amando essa fase em que as editoras estão cedendo cada vez mais espaço para os autores nacionais, acaba quebrando a barreira que os livros nacionais precisam ser lidos somente para o vestibular.
    Parabéns pela entrevista eu não conhecia a autora e fiquei realmente curiosa pra saber mais sobre o livro, adoro ficção fantástica e parece ter uma história muito boa.
    Abraços,
    Um Rascunho a Mais

    ResponderExcluir
  6. Oba, fico tão feliz quando vejo os livros nacionais sendo divulgados por ai.
    Ainda não conheço a escrita dessa autora, mas parece ser bem legal e incrível, e ela é uma pessoa bem legal neh!!

    Até mais,
    Davidson.
    http://www.meninoliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Gostei muito dessa premissa que a autora seguiu para escrever, que não há ninguém tão mau que não possa ser bom, nem tão bom que não possa ser mau... acho que isso é muito verdade, nós é que decidimos o que fazer com nossas vidas. Adorei a entrevista, e achei bem legal a postura da autora de levar críticas positivas e negativas em conta. Sucesso pra ela!

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  8. Eu li A Escolhida em ebook, e apesar de ter ficado meio perdida em relação ao ambiente, eu gostei muito dos personagens e principalmente da autora ter fugido completamente do esteriótipo dos anjos...magos e afins. Adorei a entrevista, pois não tinha visto nenhuma entrevista com a autora!

    ResponderExcluir
  9. Oiiii Nath, tudo bem?
    Que querida essa autora, eu fiquei muito feliz em saber que ela não pensava realmente em publicar isso, percebe-se que ela realmente escreve por amor a cada personagem que cria e a cada livro, acho que sairão muitos ainda hahahahahha eu ainda não tive oportunidade de ler o livro dela, mas sempre quando vejo que sai alguma publicação sobre, sai correndo a procura. A premissa sempre me encantou desde o início que descobri a existência. E confesso, que achei ela uma fofa por falar assim sobre os blogueiros.
    Beijinhos ❤
    http://segredosliterarios-oficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Que autora fofa! Adorei a sinceridade dela, especialmente quando disse que é natural receber críticas negativas e elogios à sua obra. Demonstrou maturidade para administrar seus sentimentos diante dos leitores. Admiro pessoas assim. Eu tenho essa obra em e-book, que adquiri antes de ser publicada pela Arwen, quando ainda era uma publicação independente na Amazon. Espero gostar da história! E estou torcendo pela autora para que a Arwen publique seu segundo volume.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Nath, sobre a primeir respostas da Amanda, eu admiro autores que assumem ter se inspirado em si próprio para criar sus personagens, como ela mesma disse, isso torna a narrativa mais real. O que mais gostei na entrevista é que a autora é bem pé no chão né? A cada resposta dela eu me deparei com uma pessoa centrada, gostei dela! Trilogia? acho que eu já sabia disso, mas agora vou chorar, nem li o primeiro e já mal sei se vou aguentar esperar kkkkkkk.Adorei a entrevista Nath

    ResponderExcluir
  12. Oi.
    Tudo bom?
    Eu já li o livro e adorei, também estou ansiosa pelo segundo volume. Adorei saber um pouco mais sobre a autora e os seus planos futuros.
    Beijos

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, volte sempre! :)