24/04/2017

Resenha: Caraval - Stephanie Garber

Título: Caraval: lembre-se é apenas um jogo
Caraval, volume 1
Autor (a): Stephanie Garber
Gênero: Fantasia, romance,
Editora: Novo Conceito
Ano: 2017
Páginas: 400
Compre: Amazon - Saraiva (Pré-venda, o livro será lançado em junho)
Sinopse: Scarlett nunca saiu da pequena ilha onde ela e sua irmã, Donatella, vivem com seu cruel e poderoso pai, o Governador Dragna. Desde criança, Scarlett sonha em conhecer o Mestre Lenda do Caraval, e por isso chegou a escrever cartas a ele, mas nunca obtivera resposta. Agora, já crescida e temerosa do pai, ela está de casamento marcado com um misterioso conde, e certamente não terá mais a chance de encontrar Lenda e sua trupe, mas isso não a impede de escrever uma carta de despedida a ele.
Dessa vez o convite para participar do Caraval finalmente chega à Scarlett. No entanto, aceitá-los está fora de cogitação, Scarlett não pretende desobedecer ao pai. Sendo assim, Donattela, com a ajuda de um misterioso marinheiro, sequestra e leva Scarlett para o espetáculo. Mas, assim que chegam, Donattela desaparece, e Scarlett precisa encontrá-la o mais rápido possível.
O Caraval é um jogo elaborado, que precisa de toda a astúcia dos participantes. Será que Scarlett saberá jogar? Ela tem apenas cinco dias para encontrar sua irmã e vencer esta jornada.


MAGIA. Essa é a palavra pra definir esse livro, não só por ela ser citada durante toda a história mas por ser o que eu senti durante a leitura. É o tipo de história mágica que me faz ter vontade de entrar dentro do livro e me tornar uma personagem.

Caraval é um lugar de sonhos, cinco noites de um jogo onde as pessoas vão para viver uma aventura, esquecer sua vida e se encontrar. Comandado por Mestre Lenda, Caraval move a curiosidade e imaginação daqueles que ainda não participaram do jogo, e isso não poderia ser diferente com Scarlett e Donattela. As duas são irmãs inseparáveis desde que sua mãe as abandonou e Scarlett assumiu o papel de guardiã da mais nova. Elas sofrem na mão do pai, o terrível Governador Dragna e sonham com o que dia em que serão livres e não mais terão medo. Scarlett escreve cartas ao Mestre Lenda desde os 11 anos de idade pedindo para assistir ao jogo, na esperança de que este seja um momento de felicidade na vida das meninas, um momento para afugentar o pavor do pai e a saudade da mãe, mas por muito tempo ela foi ignorada, até quando decide enviar uma última carta e dessa vez Lenda responde convidando-as para o Caraval.

Donatella vê nos convites a oportunidade das irmãs finalmente fugirem da ilha, mas Scarlett tem medo do que pode acontecer se tentarem, já que está noiva de um Conde que nunca viu, o pai marcou o casamento para dali a poucos dias e fugir poderia causar uma fúria jamais vista. 
Com a ajuda de Julian, um marinheiro sedutor de passagem pela ilha, Donatella consegue sequestrar a irmã e leva-la para Caraval. Chegando lá, Scarlett se vê sem saída a não ser participar do jogo, principalmente depois que todos os planos dão errado e Donatella é sequestrada pelo Mestre Lenda e colocada como peça central do jogo desse ano. 
Em meio a muito magia e perigos e sem saber o que de fato é real, Scarlett enfrentará coisas que jamais imaginou, encontrará pessoas das mais distintas e passará por uma mudança tão grande que já não será mais a mesma ao final. Isso se conseguir chegar o final. Que comece o jogo! 

Caraval traz a fantasia de um jogo onde nem os participantes nem o leitor conseguem distinguir o que é realidade e o que é encenação, traz um romance construído em meio ao desespero e ingenuidade e traz o mais puro laço fraternal. Não é uma história só sobre um jogo inimaginável, é a história de duas irmãs que se amam e lutam por uma vida melhor. Mesmo que só uma das irmãs tenha enfoque durante a maior parte do livro, o amor que ela sente é palpável e muito bonito. 

O livro dá asas a imaginação. Caraval é um mundo de cores e coisas exóticas, onde a magia parece estar em cada pedacinho do chão. Mas apesar de muito bonito, também é muito perigoso, podendo levar a loucura aqueles que se deixam embalar pelo jogo. O aviso no inicio é real, o perigo é real. Não só a magia pode causar danos, mas o ser humano pode ser terrível ao se ver em situações extremas ou em situações onde acha que pode sair impune de qualquer coisa. Tudo é possível no Caraval.

A autora mexe com nosso imaginário e aguça nossa vontade de fazer parte do jogo. Mesmo que o foco da história seja as irmãs Dragna e o mistério em torno de Lenda, é impossível não se pegar pensando nos pormenores dessas cinco noites surreais. 
Stephanie Garber também acerta ao construir personagens misteriosos que nos deixam curiosos para descobrir seus segredos. Julian é o principal exemplo disso. Começando como um jovem oportunista e passando a misterioso galã arrebatador do coração de mocinhas, Julian é um enigma o tempo todo e carrega um alerta de perigo, mas mesmo assim torcemos para que no fundo ele seja do bem e fique Com Scarlett. E por falar nela, achei-a uma bela personagem principal. Mesmo sendo bem ingênua e tendo uma tendencia a ver tudo com bons olhos mesmo que já tenha sofrido tanto na vida, ela mostra que tem garra e pode ser forte, enfrenta o jogo com certa inteligencia e astúcia, por mais cega que possa ser. Até Donatella, que achei que seria a personagem pela qual reviraria os olhos de irritação conseguiu me surpreender nas poucas páginas que aparece.

O romance é uma constante o livro todo. Desde o início fica claro que a mocinha inocente vai se apaixonar pelo jovem malandro, mas com toda onda de mistério e improbabilidade, o romance se torna interessante e aceitável, chegando a me fazer torcer loucamente por um final feliz para o casal. 
Pra mim o livro teve ação na medida certa. Caraval não é um livro monótono nem agitado demais, é feito na medida certa. As cenas são bem descritas e os diálogos são bem colocados. 

Sthepanie Garber conseguiu criar um mundo e personagens que me fizeram ficar fissurada, sem conseguir largar a história até saber o final. Por ser o primeiro de uma série - li sobre ser 2 ou 3 livros - diversas perguntas ficam sem respostas, mas o gancho para o segundo volume é delicioso e enlouquecedor! Talvez o único pecado da autora tenha sido deixar algumas questões que mais pareceram furos no roteiro do que perguntas a serem respondidas no próximo volume. Mesmo assim, a história surpreende e quando você acha que decifrou tudo, ela vem e esfrega na sua cara que não. 

O livro será lançado em junho mas a Editora Novo Conceito deu aos parceiros a oportunidade de ler a história primeiro. O privilégio valeu muito a pena! Li em eBook, mas nele já deu pra perceber que a edição do livro será muito bonita, não vejo a hora de ter meu exemplar em mãos. 

Não deixe de ir à Caraval quando os portões se abrirem e o convite lhe for feito, participe do jogo ou só assista, você não irá se arrepender. 

Um comentário:

  1. Oi, Nathalia!
    Gente, eu fico tão feliz vendo esse livro conquistar as pessoas como ele me conquistou *---* Acho que só não fiquei mais feliz do que quando vi que a NC ia lançar logo por aqui.
    Eu não teria outras palavras para descrever o Julian. E terminei esse já querendo o próximo livro, que sai só em 2018 infelizmente.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do #Sorteio1KSeguidores

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, volte sempre! :)